quinta-feira, 19 de novembro de 2009

Leituras … dos Direitos da Criança

DIA DOS DIREITOS INTERNACIONAIS DA CRIANÇA
20 de Novembro

CONVENÇÃO SOBRE OS DIREITOS DA CRIANÇA
1989 / 2009 - 20º ANIVERSÁRIO

A Convenção sobre os Direitos da Criança é um tratado sobre Direitos Humanos, de entre todos, o ratificado por maior número de países.
Foi aprovada por unanimidade e adoptada pela Assembleia-Geral das Nações Unidas, em 20 de Novembro de 1989, no culminar de um projecto iniciado em 1979, no Ano Internacional da Criança.
Em 26 de Janeiro de 1990, os primeiros 61 países aderentes assinaram o tratado.
No dia 2 de Setembro de 1990, entrou em vigor na ordem jurídica internacional.
Portugal assinou o tratado em 26 de Janeiro de 1990, tendo sido, portanto, uma das primeiras 61 nações a fazê-lo, e ratificou-o no dia 21 de Setembro de 1990.
No dia 21 de Outubro de 1990, entrou em vigor em Portugal, tendo, desde então, força de lei, na ordem jurídica portuguesa.
A
UNICEF adopta os princípios da Convenção Sobre os Direitos da Criança como ponto de referência de todos os programas por si desenvolvidos, mesmo quando respeitantes a países que não a tenham ratificado.

…………………………………………………………. ler texto completo

Mas …

clip_image001

“(…) [o] fenómeno da escravidão e do trabalho infantil persiste em África. No Benim, por exemplo, há tráfico de crianças com destino ao trabalho nas pedreiras de Abeokuta, na Nigéria. (…) [Aí há] crianças vendidas pelos pais e exploradas pelos traficantes. (…)”

in http://www.alem-mar.org/cgi-bin/quickregister/scripts/redirect.cgi?redirect=EkuFAVuEFZrFFlkHGT,
[consultado em 18/11/09]

Veja aqui - crianças escravas no Gana [consultado em Nov/09]

………………………………………………………………
Livros e Filmes, em destaque, na nossa BE:
Filmes - Aniki Bóbó, de Manoel de Oliveira; Ser e Ter, de Nicolas Philibert;
Livros - “O meu Pé de Laranja Lima, de José Mauro de Vasconcelos; Esteiros, de Soeiro Pereira Gomes; Alice no País das Maravilhas, de Lewis Carroll;Capitães da Areia”, de Jorge Amado; Quem me dera ser Onda : novela, de Manuel Rui

8 comentários:

Sofia, Margarida e Diana D. disse...

Foi chocante perceber que em pleno século 21 ainda haja escravatura infantil, fome e tão más condições de sobrevivência.

10ºC

Sara, Diana, Mariana disse...

Em pleno século XXI a escravatura já deveria de ter acabado. Na nossa opinião as crianças não deveriam de ser tão mal tratadas.



10ºC

Carolina, Mariana e Vânia disse...

É simplesmente traumatizante e doentio saber que, mesmo já estando no século XXI, ainda existem crianças a serem comercializadas como objectos sem sentimentos, ainda por cima em tão tenra idade, e que vivem em condições deploráveis e lastimáveis. Felizmente, há quem as queira ajudar e isso só prova que, se nos empenharmos a sério, podemos fazer a diferença.

10ºC

Anónimo disse...

Achei uma autentica barbaridade. Acho que em pleno séc. XXI nao devia haver escravatura.

Lara, Joana,Wilson disse...

foi um video chocante de facto..mas é com esta realidade que temos de viver no nosso dia a dia, e aprender a dar valor ao que temos, pois não imaginamos a passarmos por aquela toda situaçao, pelo qual eles passam.


10ºC

Anónimo disse...

É um pouco difícil de acreditar que ainda há escravatura na actualidade, e que ainda por cima é em sua maior parte infantil, só o facto de crianças serem vendias a menos de 30€ deixa-nos bestificados perante a situação.

10ºC
Victor Hospodarsky

Carina, Beatriz e Cátia C. disse...

Tivemos aqui a prova de que ainda nos dias de hoje, existem muitas crianças escravizadas. O que é extremamente lamentável.

10ºC

Cátia , Joana , Juliana disse...

Todo o mundo se devia preocupar com esta situação, pois é algo que vemos todos os dias nos noticiários mas decidimos, ou achamos “mais fácil” ignorar. É inaceitável que, em pleno século XXI ainda exista escravatura. Estas crianças não têm culpa das suas origens, e é simplesmente inaceitável que sejam tratadas como objectos, utensílios de trabalho vendidos por 25 euros, pelos próprios pais. Acho que isto nos sensibilizou, e nos deu alento, para de futuro, fazer algo por isto, em vez de o ignorar.

10ºC