segunda-feira, 9 de fevereiro de 2015

Comemoração do Dia de S. Valentim | Albano Martins e o Amor

 

image

imagem | online

Inspire-se nos poemas de Albano Martins, poeta com grande reconhecimento nacional e internacional, residente em VNG há muitos anos, onde foi docente no ensino secundário e superior (Universidade Fernando Pessoa, Porto) – ver biobibliografia. A BE-ESGN associa-se à homenagem que a Biblioteca Municipal de VNG está prestar ao poeta.

          Como As Espigas

Finalmente (embora
saibas que não há
nem fim nem princípio):
deves dizer ainda
que há uma rosa de espuma
no teu peito e que
o seu perfume
não se esgota. E que lá
também existe
uma fonte onde bebem
as flores silvestres. Mas não
humildes, como ias
chamar-Ihes: altas
como as espigas
do vento, que no vento
se esquecem e que no vento
amadurecem.

online, [5/02/2015]

           Secura Verde, excertos
(…)
O amor também cansa.
Renova a tua vida, dia a dia.
Onde estiver a esperança
põe teu sonho e tua fantasia.

Entrega-te a cada hora
e aceita sem reservas
tudo o que venha ao teu encontro.
Não sejas como as ervas.

Deixa em tudo o teu selo de passagem.
Bebe em todas as fontes, se puderes.
Só terás remorso
do que possas fazer e o não fizeres.

*
      Há em teus olhos, dados ao momento,
      uma tristeza de água reprimida,
      que é como o pressentimento
      duma próxima despedida.

      Tristeza que faz lembrar
      dias perdidos de outono
      com luz pálida a incidir
      nas folhas mortas de sono.

      Deixa que a esperança os molhe,
      os inunde de alegria.
      Cada noite passa e colhe
      o gosto dum novo dia. 
                                  in Secura Verde, 1950

 

                Frutos

Quando a amada oferece
o seu corpo, ela sabe
que dos frutos apenas
se colhe o sabor.
                                É então
que os dedos
separam as películas,
que a lâmina desce e a água
e o fogo se misturam.
E é então que a vida
e a morte convivem
sob o mesmo tecto.

         in Escrito a vermelho, de Albano Martins

outros poemas de Albano Martins - aqui

.Concursos:

Coração vermelho - participe no Concurso de Poesia Interescolas de Gaia 2015 – a decorrer até 20 de fevereiro

Coração partido - escreva uma Carta de Amorregulamento aqui

 

              As tuas cartas

Estas cartas que tenho à minha frente,
Lembranças dum amor já falecido,
Beijei-as muita vez, devotamente,
Num amoroso beijo, indefinido.

Esqueci-as depois --- passado ardente,
Nessa cinza ficou adormecido---
E ao lê-las hoje, esta minh’alma sente,
Um outra vez, o amor que foi sentido.

Sou tua para sempre ---que ironia!---
Diz uma delas que outra vez inflama
Meu pobre amor, que se tornou saudade.

Sempre---ó palavra que duraste um dia!
É bem certo que a gente, quando ama,
Ouve dentro de si a Eternidade…

      Domingos Monteiro, “Nau Errante”, in Poesia, Lisboa, IN-CM. 00
       [recolha do prof. Francisco Martins]

 

image

imagem | online

Lábios vermelhosLábios vermelhosLábios vermelhos

Recursos Educativos Digitais em inglêsclique aqui

Lábios vermelhos

 

 

Lábios vermelhos

 

Pins e Postais
comemorativos do Dia de S. Valentim
ver aqui

Coração vermelhopela turma 10D, Curso Profissional Multimédia Coração vermelho

Lábios vermelhosCoração vermelhoLábios vermelhos

Postais de S. Valentim, por alunos das turmas 7ºG, I, J e 9H (EBACO), no âmbito da disciplina de Francês, orientados pela profª Constança Sousa / colaboração da profª Fátima Dias e turma do 8ºI (EBACO) na decoração.

PicsArt_1423834224129 PicsArt_1423834336526
PicsArt_1423834282354 PicsArt_1423834390405

Lábios vermelhosCoração vermelhoLábios vermelhos

  WP_20150212_007

painel comemorativo pelo prof. Rafael Tormenta

Sem comentários: